OS BENEFÍCIOS DO USO DA ARGILA



Neste artigo, eu descrevo os diversos benefícios que se pode alcançar através do uso da argila por qualquer ser vivo. "Da terra viemos, da terra vivemos e à terra voltaremos". Espero que você aprecie e aproveite os benefícios desse excelente recurso natural vindo diretamente da Mãe Terra.


A UTILIZAÇÃO DA ARGILA PELOS MEUS ANCESTRAIS



Este Blogger foi construído a partir de muita pesquisa devido ao meu interesse em conhecer mais profundamente essa arte de cura através dos recursos naturais, herdados de minha mãe, que recebeu esses ensinamentos de meu avô, que morava no interior, num vilarejo chamado Soledade, localizado entre Minas Gerais e Teresópolis-Rio de Janeiro. Naquela época, longe das grandes cidades, a população que morava perto das matas e florestas, utilizavam muito os recursos que a terra lhes fornecia e esses ensinamentos eram passados de geração em geração.

TRATAMENTO NATURAL COM ARGILA




Experiência própria:

Uma vez eu torci o meu pé e meu tornozelo inchou e doía muito; então eu mesma fiz uma massa grossa de argila virgem, envolvi do pé ao meio da perna, deixando ficar durante toda a noite. No dia seguinte trocava a argila. Uns três dias depois já estava bem melhor e resolvi aproveitar a argila utilizada misturando-a com um pouco de argila virgem para economizar; o resultado foi drástico: a dor voltou com tamanha força que foi insuportável. Retirei imediatamente as ataduras, lavei o pé e apliquei outra massa só com argila virgem. O alívio foi imediato. Fiquei completamente boa em poucos dias, sem nenhum vestígio ou seqüela.


Depois de muitos anos, já com filhos e com minha primeira neta, voltei a utilizar a argila nos meus filhos, netas e em mim própria.

Existem momentos em nossa vida que, por algum motivo ficamos sem acesso às cidades mais próximas, ou, por ter usado algum medicamento convencional não obtendo resultado favorável, a utilização dos recursos naturais são de muita valia. Por experiência própria sempre aplicava camadas de argila conseguindo debelar febres sem causa aparente, tendo obtido resultados surpreendentes.

Minha nora, que já morou em fazenda e é filha de uma terapeuta ayurvédica, também aplicava argila em sua filhinha, minha neta, e ela melhorava das cólicas e até mesmo de outros sintomas.


Quero também relatar sobre o dia em que estava em casa sozinha com meu filho mais velho, na época com 18 anos de idade, que foi tomado por uma febre muito forte, sem que estivesse gripado ou com nenhuma doença ou virose aparente. Como ele é muito maior que eu e não havia ninguém que pudesse colocá-lo no carro, pois ele estava delirando, com temperatura chegando aos 40 graus, apliquei uma camada grossa de argila fria sobre uma gaze, colocando em seu baixo ventre, enrolei seu quadril e barriga com uma atadura.

Esperei por umas duas horas e a temperatura foi cedendo, baixando até ao nível quase normal. Adormeci e de manhã meu filho estava com a temperatura normal e bem disposto. A argila havia secado e os lençóis da sua cama estavam encharcados de suor. Nesse mesmo dia ele foi trabalhar e durante os dias que se seguiram a febre não retornou mais.

"MÃE TERRA, QUE DÁ, ABRIGA E RECEBE A VIDA"




A Terra recebe a luz do Sol que aquece o gelo transformando-o em água que, distribuindo-se de diversas maneiras pelo solo, leva os princípios vitais, o agente mais poderoso de regeneração física por todo o planeta.


Os egípcios utilizavam a terra – argila - na mumificação de corpos e conheciam seus princípios purificadores. Os antigos escritos anteriores a era cristã mencionam o uso da terra de “Lemnos” para fins de cura de doenças. O naturalista romano Plínio, o Antigo, consagrava-lhe um capítulo da sua “História Natural”.

Outros povos antigos, como os gregos Dioscoride e Galieno, árabe Avicena, teriam feito referências ao uso da argila atribuindo-lhe uma força curadora extraordinária. Isso não quer dizer que eles desconheciam outros medicamentos, pelo contrário, a medicina natural sempre foi e ainda é utilizada por povos de culturas muito antigas, tais como os hindus, chineses, nórdicos, e povos indígenas das Américas.

Na era moderna os grandes naturalistas alemães Kneipp, Kuhn, Just, Felke, dentre outros, foram os que mais contribuíram para o renascimento do emprego da argila no contexto dos tratamentos naturais, e Mahatma Gandhi foi sempre um fiel adepto do uso da medicina natural, chamada na Índia como Medicina Ayurvédica.

Na Suíça e na Alemanha os médicos recomendavam, em Davos, importante centro de tisiologia no início do Século IXX, o uso da argila em doentes acometidos por tuberculose. O tórax era totalmente revestido com uma massa de argila bem quente e deixava-se esse cataplasma permanecer por toda a noite. Esse tratamento resultava em curas miraculoras.



O Padre Kneipp transmitiu a indicação de cataplasmas de argila com vinagre para tratamento nas aldeias, a outro naturalista, o antigo livreiro Adolfo Just, que difundiu seu uso em grande escala, e a “terra de Just”, chamada “Luvos" - silicato de alumínio,caulino coloidal, baús, etc. – tornou-se rapidamente conhecida. O médico berlinense Prof. Julius Stumft empregou-a com êxito contra a cólera asiática.

O uso da argila também foi muito utilizado durante a 1ª Guerra Mundial. Os soldados russos recebiam 200gr de argila do comando militar.

Em alguns regimentos franceses a mostarda era associada à argila, eliminando totalmente a desinteria que destroçava outros regimentos vizinhos. A argila também era usada na cavalaria para uso veterinário para tratamento de gangrena nos cascos dos cavalos. Os animais também, por instinto, dirigiam-se para a lama de argila para encontrar alívio em seus ferimentos.

A utilização da argila como cura em certas regiões da França era chamada de “Lama dos Cuteleiros”. Sua aplicação era muito usada como resolutivo e contra queimadura do primeiro ao terceiro grau.

Muitas vezes foram descobertas terras radioativas por se observar animais utilizando a lama desses lugares em caso de necessidade. Na floresta siberiana de Ourrouri existe uma importante estação balneária cujas propriedades curativas da terra foram descobertas como resultado de observações feitas sobre animais feridos, tais como: javalis, cabritos, veados, dentre outros, que mergulhavam freqüentemente na lama desse local.

Conta-se a estória de um elefante chamado pelo nome de Fil que, com seus congêneres se purgavam com lama de sílico-magnesianas.

Os povos chamados “primitivos” ainda vivem em estreito contato com a natureza e o uso da argila algumas vezes é usado como moeda corrente. Existem povos geófagos no México, Nas Índias, no Sudão e na América do Sul, principalmente nas populações do alto Orenoco, do Cassiquare, da Meta e do Rio Negro e Solimões. Alguns deles amassam bolinhos redondos e chatos e os secam e cozinham e comem.

Algumas argilas de Sumatra servem de remédio contra diarréias graves, enquanto em Java se utiliza como purgativo. Nas Filipinas usa-se para todas as infecções intestinais. No Sudão julgam-na mais eficaz contra a sífilis.

As mulheres grávidas sentem desejo de rolar na lama e algumas até comem pedaços de artefatos feitos de barro, mesmo nas cidades, como instinto natural.

PROPRIEDADES DA ARGILA




A argila age de modo bem diferente, por conter substância viva, portanto, provida de inteligência da natureza. A argila age com discernimento, entravando a proliferação de micróbios ou bactérias patogênicas ou corpos parasitários ao mesmo tempo que favorece a reconstituição celular sã, ajudando a por para fora as inflamações, dores e febres.

A argila absorve as impurezas e outras substâncias que podem ser tóxicas e dá sabor agradável aos alimentos.

A argila é radioativa, como todos os corpos, mas essa radioatividade é geralmente indetectável.

Aquilo que vulgarmente chamamos de argila é uma terra gordurosa quando está úmida e sobre a qual nada brota. É a terra argiloza dos modeladores e oleiros. Podem ser verde, vermelha, amarela, cinzenta, branca, etc, cada uma delas tem suas propriedades específicas por conter tipos de minérios diferentes. É necessário procurar a que melhor convém a cada caso.

A melhor forma de se escolher uma argila apropriada a uso terapêutico e cavar num lugar de floresta ou jardim a mais ou menos um metro de profundidade e a partir daí extrair a argila virgem.



Há laços de afinidade entre a argila e tudo o que vive, planta, animal ou homem. A mesma argila pode determinar um resultado espetacular em um e parecer inoperante em outro, mas na realidade ela age sempre, mais ou menos rapidamente segundo a afinidade.

Utilizando os elementos da natureza, devemos sempre procurar encontrar os que se conjugam com o utilizador. Não é uma substância inerte que recorremos, mas sim à vida. É um pouco de nós mesmos.

Quanto mais a argila tiver sido exposta ao sol, ao ar e à água de chuva, mais ativa ela se torna. É Também isso que permite a argila ter propriedades de absorver e armazenar uma notável parte da energia dos outros elementos, sobretudo a energia solar. Em suas partículas infinitamente pequenas constituem condensadores capazes de libertar a energia retida, pela ação de um pólo contrário.

Mesmo a argila sendo extraída diretamente do solo e utilizada sem exposição intermediária prolongada à luz solar, a argila já possui a maior parte de suas propriedades. Estas são insubstituíveis na manutenção da vida dos cavernícolas. Ex: no caso dos camarões, que só se reproduzem e se desenvolvem com a argila; esses animais enfraquecem e morrem se forem privados da argila, entretanto são capazes de resistir durante muito tempo à privação da alimentação.

PRINCIPAIS EFEITOS DA ARGILA NO ORGANISMO




A concentração de determinadas minerais na argila, combinados sabiamente pela natureza, confere-lhe qualidades especiais para curar. Seus principais efeitos no organismo são:

• Desinfiltra os interstícios celulares.

• Elimina toxinas.

• Estimulação da micro circulação cutânea.

• Permite a troca de energia dos minerais com a parte afetada.

• Promove uma microabrasão (peeling suave).

• Regula a produção sebácea.

• Regula a queratinização.

• Regulariza a temperatura do órgão enfermo uniformizando a irrigação sanguínea.

USO INTERNO



Para evitar pequenos incidentes que por ventura venham a surgir no começo do uso da argila, é preferível beber, a princípio, água argilosa, deixando o depósito no fundo do copo.Para isso, deve-se usar uma argila estéril e virgem, de boa procedência, coloca-se uma colher num copo d’água mistura-se e espera-se a argila assentar no fundo do copo.

Tudo o que é doentio, portanto emissor de radiações vegetativas, é atraído para a argila, irradiando para o pólo positivo. Depois a eliminação é rápida, a menos que a importância dos resíduos assim drenados para os intestinos ocasionem alguma perturbação, tornando-se necessária a intervenção o mais rapidamente possível por uma medicação laxativa indicada por um médico.

Uma das particularidades da argila reside no domínio psico-químico. Do ponto de vista termodinâmico, admite-se que não constitui a única fonte de energia dos fenômenos que desencadeia. Mais do que pelas substâncias que encerra, a argila age pela sua presença viva, vinda diretamente da natureza.

Existem substâncias que não se destroem ou agridem; são as diástases ou enzimas de que a argila deve ser excepcionalmente rica. Algumas dessas diástases, as oxydases, têm o poder de fixar o oxigênio livre, o que explicaria a ação purificadora e enriquecedora da argila sobre o organismo. O conhecimento dessas propriedades seria, contudo, insuficiente para a explicação do poder de ação da argila se não soubéssemos ainda que é um poderoso agente de estimulação, de transformação e de transmissão de energia.

Como cada partícula de limalha proveniente de um ímã guarda as suas propriedades, cada parcela de argila transporta uma energia considerável por causa do seu magnetismo e das radiações que tem acumuladas, trazendo ao organismo uma reserva de força extraordinária. Essa ação radiante contribui para a reconstituição de um potencial vital, pela libertação de energia latente. Temos em nós extraordinárias fontes enérgicas que mantemos adormecidas; a argila as desperta.

Faz-se necessário não confundirmos essa forma de ação com o efeito das bebidas ou alimentos excitantes que não agem sobre o potencial energético, mas apenas sobre a energia reservada para os próximos dias, podendo levar a pessoa a ter algum dano nesse próximo futuro. Já a argila participa da simbiose desses dois indivíduos de espécie diferente, com benefício mútuo.

COMO EMPREGAR A ARGILA




De preferência escolher uma boa argila gordurosa, que não estale sob os dentes - isenta de areia.

Abster-se de empregar argilas preparadas, cozidas ou associadas a substâncias não naturais. Pela sua inércia, esses pós-mortos poderiam constituir um perigo de oclusão.

A cor da argila tem a sua importância, do mesmo modo que tem importância a sua conveniência. Normalmente a argila da região de floresta virgem é a melhor para utilização em cura.A argila pode ser usada via oral: diluída em água; ou como emplasto ou cataplasma aplicada na região da dor, no baixo ventre em caso de febre ou no tórax em caso de tosse excessiva.

Pode-se usar como bolinhas para chupar como balas ou bombons.Aconselha-se que se a pessoa quer fazer uso da terapia natural, que tenha também hábitos naturais como alimentação vegetariana, não ingestão de álcool, tabaco ou outro tipo de droga, para que se tenha um resultado mais eficaz.



Para o uso externo, deve-se preparar a argila em um recipiente que não seja de metal, exceto aço inoxidável. O ideal também é se preparar a argila na hora em que for usa-la.

Não se deve reaproveitar a argila já utilizada, por ser um elemento que contem radioatividade, ela absorve a radioatividade maligna da doença ou da dor, e se for reaproveitada essa dor pode retornar para a pessoa. Se a pessoa for reaproveitar a argila já utilizada deve tomar a precaução de devolve-la à natureza, ou seja, coloque-a em um lugar aberto, tomando o cuidado de cobrir o recipiente com uma gaze, para que peque a luz solar durante pelo menos 7 dias.

Se for usar a argila aquecida não a leve diretamente ao fogo, aqueça-a em “banho Maria”. Micro-ondas então é totalmente desaconselhável para uso em qualquer terapia natural, inclusive sua utilização nos alimentos.

PRECAUÇÕES INICIAIS


A primeira ação da argila é a drenagem dos princípios mórbidos do local tratado. Portanto é conveniente seguir alguns cuidados prévios:

1 – Fazer uso de alimentação vegetariana que, por ser laxativa e natural, produz a desintoxicação dos intestinos.

2 – Deve-se evitar a aplicação em feridas abertas.

3 – Começar por aplicações de 20 minutos e em camadas não muito espessas (mais ou menos 1cm).

USO DA ARGILA NA PELE



Na maioria dos das máscaras utilizadas em tratamento de beleza à base de argila são adicionadas outras misturas tais como: glicerina, parafina e outras substâncias químicas, na verdade são mais aptas a neutralizar as propriedades da argila do que exalta-las. Toda transformação, ou a adjunção de qualquer substância só contribui para enfraquecer o poder de cura da argila, que é muito mais ativa no seu estado “in natura” ou virgem. Porém se for adicionado sumo de fruta ou vegetal, indicados ao uso específico de cada caso, seu efeito será muito benéfico por serem ambos derivados diretamente da terra.Na Tunísia utiliza-se uma argila que se apresenta em blocos duros, de cor escura, que ser dá o nome de “tfal”, que se mistura com um pouco de água para obter uma massa lisa, empregada em máscaras sobre o rosto. Após essa aplicação constata-se que a pele fica mais limpa e suave e que seus poros ficam mais apertados. Essa mistura também se usa como shampoo, bem como para todos os cuidados com os cabelos.

BANHOS DE LAMA


O recurso às lamas minerais é agora do domínio corrente, e sua ação é poderosa, mas seus benefícios são maiores se for associada à alimentação natural, pois a pessoa se desintoxica tanto externa quanto internamente. O ideal seria fazer uso desses banhos durante 5 a 10 minutos no início aumentando seu tempo gradativamente até chegar aos 20 minutos em dias alternados, dia sim dia não, ou pelo menos duas vezes na semana.Esse tratamento, além de ser muito benéfico à pele, alivia também dores nos casos de artrite e reumatismo. Pode-se também aplicar esses banhos locais , sobretudo nos pés e nas mãos.

A ARGILA ADEQUADA PARA USO NOS BANHOS DE LAMA



A Lama é o deposto argilo-arenoso deixado pelas águas na sua retirada. As suas propriedades são variáveis, mas certas.Os depósitos antigos de lama constituem o “loes”, cujas camadas sucessivas têm aspecto diferente. O “loes” inferior,de ocre amarelado, quase incultivável, é de predominância calcária. É a “argilette” da Normandia e a terra doce da Picardia. O nível superior, avermelhado, é cultivável; é muito rico em argila e contém um pouco de areia. A terra avermelhada e muito utilizada para fabricação de tijolos. Todas estas terras podem ser utilizadas na falta de argila verdadeira. Mas somente para uso externo.

Aqui no Brasil somos privilegiados, pois temos praias, rios e lagos em abundância, com uma enorme quantidade de lama natural, ainda não poluída, e que são benéficas à saúde e propícias ao banho de lama.

BOCA – DENTES


Alguns povos do interior, na falta de dentrifício, utilizam a argila para a higiene de seus dentes e gengivas, algumas vezes misturadas com folhas de hortelã esmagadas para dar perfume.

BAIXO VENTRE

Febre ou cólicas:





Sendo o baixo-ventre o centro de fermentações, geralmente origem de elevação de temperatura do corpo – Febre - o cataplasma de argila pode ser aplicado frio (temperatura ambiente) em camada espessa (mais ou menos 2cm) sobre uma gaze e envolver com uma atadura, deixando por, pelo menos 1 hora. Após retirar a argila esta não deverá ser reutilizada.


Se houver necessidade, aplicar nova camada até a febre baixar.

A aplicação da argila no baixo ventre pode ser usada também para alívio de dores, tais como cólicas menstruais ou de outra natureza. Nesses casos, a argila deverá ser usada com água aquecida.

O uso da argila fria no baixo ventre deve se feito somente em caso de Febre.

CONTUSÕES – ENTORSES



Não se deve negligencias nenhuma contusão ou traumatismo, pois ligamentos e vasos podem se romper e os nervos lesados. No caso de não se ter como chegar a um hospital para uso da argila, em caso de emergência, é necessário aplicar a argila fria em cataplasmas de mais ou menos 2cm de espessura enrolar uma atadura e deixar até secar, podendo retirar e aplicar outro cataplasma até o desaparecimento da dor.